1

Eu me arrependo.



Me arrependo. Não, não tenho medo de confessar. Se arrepender não é para fracos. Os fracos fingem que nunca se arrependeram. Os demais são fortes o suficiente para admitir: Eu me arrependi. Não posso deixar passar os erros que cometi, mas pelo menos os erros nos fazem crescer. Mas e as pessoas que me traíram? que me feriram? Não posso dizer que nunca falei em voz alta o quanto eu desejei não tê-los conhecido. Mas pra alguma coisa me serviram: me fizeram aprender. E tive muitas lições. Lições que não aprendo sentada em uma sala de aula com aquela professora louca que se acha a dona da verdade só por um maldito diploma de ensino superior. Aprendo levando uma surra da vida.  Mas que eu me arrependo, me arrependo. Antes eu não tivesse aprendido. Se não aprender significa não te conhecer, preferia morrer sem saber. Mas e na hora? Eu pensei nisso? Talvez eu tenha pensado, e se pensei, eu admito nesse texto que também sou burra. Uma burra arrependida. E me arrependo das coisas que não fiz. Como, por exemplo, não ter deixado de ficar com você. Eu não fiz isso, logo me arrependo. Então eu me arrependo daquilo que não faço. Tão lógico, né?Fico tão presa no: ”e se…”, “e se eu tivesse feito diferente?”, mas eu não tenho como prever as coisas e muito menos ter uma máquina do tempo. Então, você que fica se achando mais forte que o Popeye quando você estufa seu peito de pombo e diz: “Não tenho arrependimentos”, pense bem. Não contribua para uma sociedade hipócrita. Todos nós nos arrependemos. Ou por amar demais, ou amar de menos. Ou por ter me permitido sofrer, ou por ter deixado você partir. Ou pelo dia que não fui naquele show que fiquei sabendo que foi maravilhoso, ou por ter me arriscado e me machucado. Mas a vida é feita de riscos né. A vida é uma graça. Ela sempre nos desgraça, já repararam? E como não nos arrependermos em um mundo assim? Em um mundo onde as pessoas são fúteis e só pensam em si. Mas claro que admitir não vai mudar nada, mas vai fazer você ser menos hipócrita. E isso? Isso é um grande passo. Então eu me arrependo mesmo. Se arrependimento matasse, eu estaria morta. Se arrependimento fosse bom, eu estaria feliz. ME ARREPENDO. Bato no feito e falo com orgulho. Porque fortes mesmo são aqueles que não têm medo de admitir. E se isso for fraqueza aos seus olhos, que seja fraqueza então.



1 comentários:

  1. "E se amanhã não for nada disso, caberá só a mim esquecer. O que eu ganho e eu perco, ninguém precisa saber."
    Não pude deixar de lembrar dessa letra do Lulu Santos. Seu texto ficou maravilhoso, e você está coberta de razão, todos tem arrependimentos, e o fator principal não é o arrependimento em si, mas sim se valeu a pena o erro. Eu estavam refletindo sobre isso esses dias, então esse textos soube como uma luva. Estava pensando se eu estava arrependida por ter conhecido alguém, aí parei e pensei: "mas e as coisas que vão e não voltam? E as lembranças? Boas ou ruins, fazem parte da minha história, e algo com certeza eu aprendi". E se trata disso, tudo o que lhe trás aprendizado, vale a pena. Somos eternos aprendizes, mesmo na morte, ainda não aprendemos nada, pois mesmo na hora da morte, aprendemos ainda a última das nossas tarefas: se despedir do mundo. Amei o texto, beijos

    http://desfocandoideias.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
TAMMY CEZARETTI - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | COPYRIGHT 2015 | DESENVOLVIMENTO :: Vinicius Ribeiro | Powered by Blogger | Imagens Flaticon