0

Se for embora, não é seu...





Por muitas noites fui dormir me perguntando o que havia de errado comigo. Por muitas noites fui dormir com lágrimas escorrendo dos meus olhos. Por muitos dias acordei com meus olhos inchados e cansados de tanto me sentir mal. Por muitas noites fui dormir com o coração apertado. Quando eu amava, me perguntava se eu estava fazendo o certo. Quando eu não amava, me perguntava quando eu iria encontrar alguém que realmente fosse bom para mim. Quando eu ficava doente, eu desejava melhorar. Quando passava, eu desejava morrer. Por muitas noites pedi a Deus para morrer. Sempre me questionei. Poucas vezes obtive resposta. Minhas perguntas acabaram tornando-se retóricas. Queria saber se eu estava certa, se eu estava errada, se isso era mesmo verdade e se ele realmente me amava. Quis saber se meu coração tinha sentimentos efêmeros ou com durabilidade. Sempre quis saber. Mas, analisando a situação, vi o quanto eu era vazia. O quanto eu me enganava com pessoas frívolas. Percebi que antes de mais nada é preciso ser positiva. Percebi que é possível ter defeitos e ser amada. Percebi que não é preciso ser perfeita, apesar de a sociedade sempre dizer que você tem de ser. Percebi que é fundamental sermos nós mesmos. E acima de tudo percebi que temos que viver ao invés de nos questionarmos. Às vezes a chance de sermos felizes está na nossa cara, mas a deixamos escapar porque ficamos questionando sem parar. É preciso seguir em frente, mesmo que nos puxem para trás. A vida é feita de altos e baixos. Uma noite você se acha tudo e outra noite se acha um nada. Se tiver que ser, vai ser. Se não tiver, não vai ser. Se for embora, não é seu. O que é seu não vai, apenas fica e nunca sai.


0 comentários:

Postar um comentário

 
TAMMY CEZARETTI - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | COPYRIGHT 2015 | DESENVOLVIMENTO :: Vinicius Ribeiro | Powered by Blogger | Imagens Flaticon