1

Caixinha de lembranças

     


     Era 11h da manhã quando acordei, senti algo diferente em meu coração e uns pensamentos estranhos começou tomar conta de minha mente. Ao colocar a mão ao lado na mesinha para acender o abajur esbarrei na minha caixinha de recordações.
Nela eu guardo todas as mínimas coisas que eu achei importante para mim em certo momento, e ela caiu e junto com a queda foi as lembranças ao chão. Era como se o meu coração tivesse caído e derramado tudo de bom que já vivi.
     Levantei e ao ajuntar cada coisa da caixinha, comecei a lembrar de coisas que vivi, coisas que me fizeram tão feliz um dia, mas que hoje, só restava as simples lembranças.
     
     A primeira coisa que eu peguei foi uma foto pequena da minha polaroide. 11/05/2014. Nela estava eu e mais uma pessoa, e atrás escrito: “Almoço na Condimento e Starbucks, com meu amor.” Já vai fazer dois anos daquela foto, era meu aniversário, eu nunca tinha ido em nenhum desses dois lugares e ele me levou para conhecer no dia do meu aniversário. Lembro que comemos batata frita, bolo de alpino e nozes, e o famoso e tão sonhado Red Velvet. No Starbucks ele tomou um frapuccino de brigadeiro e eu um chá gelado de frutas vermelhas.

Lembranças.

     Em seguida, 19/07/2010. Um cartão velório. Me levou a seis anos atrás, quando eu cheguei da escola e recebi a notícia de que o primeiro menino que eu amei na vida havia morrido afogado. No começo não queriam me falar nada, mas não conseguiram esconder por muito tempo. Meu mundo começou a ter fim ali, ele era o exemplo de amor que eu tinha pra mim e até hoje quando me perguntam se eu já amei alguém de verdade me vem ele no pensamento. O mais incrível e frustrante da história é que eu não tive tempo de me declarar para ele, eu sempre deixava para depois, tinha medo do que ele iria dizer. Mas um conselho para você: Não esconda seus sentimentos, seja ele por quem for. Você não sabe se amanhã pode acordar e receber a notícia de que ele já não está mais entre nós.

Lembranças.

     A terceira coisa que eu peguei para guardar foi uma aliança. A primeira aliança que eu recebi, do meu primeiro namorado, 04/03/2012. Era uma aliança simples daquela que se compra na feira, mas era muito especial para mim. Ainda me lembro de quando ele chegou em casa em uma tarde de quarta-feira, era 18h30, ele tinha acabado de sair da escola, estava até com o uniforme ainda, e ele se ajoelhou no portão e disse que tinha uma surpresa para mim, e abriu a caixinha de veludo coma a aliança dentro. Duas alianças. Foi o dia mais feliz da minha vida. Mais uma história que se acabou e ficou só na história mesmo.

Lembranças.

     Por último eu peguei um papel bem dobradinho, abri e estava escrito: “Hoje é 05/05/2015, foi muito bom na igreja mais foi melhor aqui na Mi porque eu comi bolo de maçã.” Em seguida tinha o nome dele. Meu ex namorado. Rs, ele adorava bolo de maçã.. mas aí, MAIS LEMBRANÇAS. Só lembranças.


     Fechei minha caixinha de lembranças e a coloquei dentro da ultima gaveta da cômoda, não sei se quero abri-la novamente

Texto: Mirela Oliveira

1 comentários:

  1. Sei bem como é isso, tenho uma caixinha assim também. Mas, das lembranças ficam as lições, só assim amadurecemos! Bjo

    ResponderExcluir

 
TAMMY CEZARETTI - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | COPYRIGHT 2015 | DESENVOLVIMENTO :: Vinicius Ribeiro | Powered by Blogger | Imagens Flaticon